Buscar
  • Atus Marketing, São Paulo/SP, Brasil

"Todo mundo quer ir pro céu, mas ninguém quer morrer"


Nas palestras, conversas de trabalho e reuniões de negócios que participo, gosto de utilizar a frase acima para ilustrar o comportamento dos funcionários dentro das empresas.


A frase é usada para demonstrar que alguns funcionários querem ir pro céu (ter bons salários, pacote de benefícios e vantagens), mas não querem 'morrer' (entregar as metas, cumprir prazos e ter comprometimento).


É impressionante como surgem sorrisos e gestos de concordância nas pessoas que ouvem essa afirmação. Entretanto, a reação dura pouco tempo. Na sequência eu faço uma provocação.


"Por acaso, essa frase também ilustra o comportamento e atitude da sua empresa?"

Os sorrisos desaparecem, os semblantes mudam e os braços se cruzam. A resposta corporal, que é sempre inconsciente, revela que ainda existem muitas empresas tentando viver numa espécie de 'globalização tupiniquim', entenda:



Produtividade americana, eficiência alemã, precisão japonesa, inovação sul-coreana, salário cubano e estrutura venezuelana. A conta não fecha!



Existe um nó nesse contexto. De um lado, temos a empresa que espera engajamento, produtividade e 'atitude de dono' por parte dos seus empregados. Na outra ponta estão os funcionários, que almejam segurança, reconhecimento e perspectivas de futuro.


É possível fechar essa conta e desatar esse nó sem que ninguém precise morrer. Para isso, é importante avaliar esse contexto com serenidade.


Uma solução possível é o investimento em políticas de premiação por desempenho e produtividade. Sim, estou falando de meritocracia!



Critérios para premiação de funcionários


A reforma trabalhista incluiu na CLT o conceito de prêmio por produtividade. A lei 13.467/17 alterou os parágrafos 2º e 4º do artigo 457 e estabeleceu que os prêmios não constituem salário e podem ser pagos com habitualidade sem a incidência de encargos trabalhistas e previdenciários.


artigo 457 - CLT
Trecho da reforma trabalhista

Para que os prêmios sejam enquadrados nas regras da reforma trabalhista é necessário obedecer dois aspectos importantes da lei:


  • Precisa ser uma liberalidade da empresa

  • Deve ser fornecido com base no desempenho acima da média


A melhor maneira de atender de enquadrar a premiação dos funcionários nos termos da legislação vigente é através de um documento chamado: REGULAMENTO.


Aqui está um exemplo de regulamento que possui vários componentes, entre eles: o objetivo que se pretende alcançar, o período de validade, a mecânica que será utilizada para avaliar o desempenho (individual ou coletiva, quais os indicadores e critérios analisados) e quais prêmios poderão ser conquistados por aqueles que superaram as metas.


Associe ao regulamento um TERMO DE ADESÃO. É através desse documento que os funcionários dão ciência e concordância ao regulamento da campanha de premiação por produtividade.


Com esses cuidados, o seu projeto de premiação por desempenho estará pronto para ser um sucesso.



Quais as melhores opções para premiar?


O portfólio de produtos da Atus Marketing foi pensado para envolver, motivar e engajar seus funcionários. Conheça as nossas soluções e escolha a mais adequada aos seus objetivos e ao perfil dos seus funcionários.

37 visualizações

Quer receber novidades e artigos sobre motivação e engajamento?

Cadastre-se em nossa newsletter e receba novidades e informações sobre gestão de equipes 

Título 6